Guia de Boas Práticas do Google para Sites e Lojas Virtuais

Usuários de dispositivos móveis são os que mais crescem no país, e o Tio Google adora eles, mas sempre tem um porém… Por isso enumeramos um Guia de boas práticas, para você criar o seu site pensando nelas, ou correr pra adaptar o que já existe, já que o seu tráfego, suas vendas e seu bolso dependem delas.

Para chegar a essa lista, os pesquisadores do Google e o AnswerLab testaram pessoas usando 100 diferentes sites populares para dispositivos móveis, diariamente, com um total de mais de 100 horas de avaliações.

O estudo levou em consideração, em tempo real, as reclamações e opiniões dos usuários enquanto navegavam, o que inclui erros que provavelmente você vai identificar e querer corrigir. Bora lá?

Segue a lista, veiculada pelo site Fast Company Design e   explicada pela gente:

1. Promova ações visíveis a todo momento: É fácil perder menus ou botões de ações no ambiente móvel. O menu que acompanha o scroll, ou a seta indicando “Voltar ao Inicio” são dois detalhes importantes que devem sempre ser levados em consideração.

2. Crie menus curtos e bem pensados: Quem navega no site não sabe e nem entende o que você quer dizer com aquilo, então facilite a vida do usuário, inclua palavras chave como “artigos”, “contato” ao invés de usar palavras e termos que apesar de legais não são nada funcionais como ” Leia blá blá blá” ou ” Nos encontre”. Convenhamos, a primeira versão apesar de enxuta, é bem mais convidativa. O Tio Google AMA isso.

3. Facilite o caminho de volta: O estudo revelou que a grande maioria dos usuários espera que haja sempre uma forma de voltar à “home” da páginas. Mantenha seu logo como forma de retorno sempre visível no topo do site, essa é uma ação já entendida pela grande maioria dos usuário, espera-se isso e busca-se isso, se a pessoa clicar e não der em nada, provavelmente ela deixará o seu site.

4. Não deixe a propaganda tomar conta do show: Promoções e anúncios podem deixar o seu conteúdo principal em segundo plano. Os usuários que visitaram sites com banners muito grandes acabaram se esquecendo exatamente do produto mais importante além de ser exatamente chato. Nunca deixe que as propagandas tomem conta da tela, o Google Adsense dá dinheiro, mas os leitores muito mais.

5. Mantenha uma caixa de pesquisa acessível: Tempo é dinheiro, grande parte das vendas e buscas são imediatistas, então o quanto mais rápido a pessoa achar o que quer mais tempo ela permanece no site.

6. Tenha certeza que os resultados de busca sejam relevantes: Ferramentas como pequenas telas, a busca mais recomendada em primeiro lugar e “autocompletar” podem tornar o site mais popular além de facilitar a usabilidade já que muitas vezes a pessoa não está “só” navegando no site.

7. Invista nos filtros para melhorar a usabilidade da busca no site: Quando houver necessidade de uma busca mais específica, tags são muito bem vindas já que mostram assuntos relacionados e facilitam a busca do usuário para assuntos correlatados e não tão óbvios.

8. Guie os usuários para melhores resultados nas buscas: Encontrar um sapato ideal em um universo de tantos tamanhos, modelos, cores e origens, tudo isso separados por gêneros, pode ser um tarefa difícil. Não tanto se você já sugerir de antemão algumas opções para ajudar na escolha. Ao saber se o consumidor é uma mulher, por exemplo, já é possível oferecer um número de calçado padrão para facilitar a busca, inclua filtros por tamanho, cor, categoria e etc, isso facilita muito a vida de quem não tem tempo a perder.

9. Deixe o usuário explorar antes de assumir compromisso: Uma das coisas mais irritantes é um site ou loja em que a primeira coisa que se vê é um pop-up gigante no meio da tela que te impede de ter acesso ao restante do conteúdo.

10. Permita que o usuário possa fazer parte como convidado: Mesmo quando há necessidade do usuário comprar uma assinatura ou algo do tipo, deixe sempre uma opção para que ele possa fazer uma “prévia” antes de decidir, isso demonstra autoridade e confiança no que você faz e é refletida nas ações do usuário.  Só então, ao pedir uma opinião a respeito da experiência que ele teve, encoraje-o a fazer a assinatura oferecendo benefícios vantajosos.

11. Use informações já conhecidas e facilite para ambos os lados: Mesmo em novas opções é possível gerar confiança dos usuários com meios conhecidos por ele, em um e-commerce por exemplo ao invés de implementar de cara o cheout transparente, guie-os ao formulário normal do PagSegroém de mostrar um lugar comum e que o cliente confia ele já conhece o que precisa fazer e seus dados na grande parte das vezes já estão salvos.

12. Coloque botões de ajuda para tarefas complexas: Sempre que houver algo com necessidade de uma explicação mais detalhada, coloque atalhos para que o usuário saiba encontrar ou requisitar mais informações.

13. Facilite a conversão para outro dispositivo: Nem sempre os visitantes terminam sua jornada em um só dispositivo, muitos até pesquisam em um smartphone e acabam finalizando uma transação ou a leitura  em um computador, por exemplo. Dê opção e facilite esses acessos.

14. Ofereça formulários inteligentes: A grande maioria dos usuários aprecia bastante sites que oferecem automaticamente a quantidade de números ou respostas relevantes ao preencher formulários, para o usuário, a melhor forma de fazer isso é enumerar do jeito mais simples possível, levando em consideração a praticidade de tocar no item desejado.

16. Providencie um calendário virtual na seleção de datas: Ao trabalhar com datas, procure sempre a precisão e, para isso, ofereça a seleção por meio de um calendário visual com instruções claras.

17. Minimize os erros de formulários: Uma das coisas que mais afastam usuários é ter que preencher o mesmo formulário mais de uma vez. Para evitar isso, evidencie bem a caixa de texto onde entram as informações e tente avisá-los em tempo real quando há algum dado incompatível com a requisição.

18. Desenhe formulários eficientes: Muitos participantes da pesquisa se sentiram intimidados com formulários extensos ou com preenchimentos de campos muitos complexos. Então, diminua o número de formulários, mostre a progressão do preenchimento de forma bem visível e utilize a função “autocompletar” quando puder.

19. Otimize todo o site para dispositivos móveis: Isso já é de conhecimento da maioria, contudo, muitos sites insistem em utilizar a mesma interface de desktops para tablets e smartphones e vice-versa. Os sites precisam ter ao menos 3 versões diferentes, para três tamanhos de telas, é essencial que isso aconteça no seu.

20. Não faça seus usuários terem que aumentar detalhes da página: Isso acontece com frequência em sites feitos para desktops e que são mal-adaptados ao ambiente móvel. Muitos visitantes deixam a página se precisam dar um “zoom” para escolher algo.

21. Ofereça imagens detalhadas dos produtos: A maioria dos consumidores gosta de ver o máximo que puderem os produtos que estão comprando. Então, inclua imagens em alta resolução e zoom a opção de zoom.

22. Diga qual é a melhor orientação para ver a tela: Os participantes da pesquisa viraram a orientação da leitura da tela para ler algo que consideraram muito pequeno ou muito longo, adapte seu site a rotação de telas e lembre-se de manter os menus no lugar correto quando ele faz isso.

23. Mantenha seus usuários em apenas uma janela do browser: Alterar janelas em ambiente móvel pode ser difícil e muitos usuários não retornaram para a origem quando isso aconteceu durante a avaliação do Google.

24. Evite palavras como “versão completa” para diferenciar as versões móvel e desktop: Ao oferecer diferentes experiências, evite demonstrar que o site móvel tem menos informações ou está incompleto em comparação com sua versão para desktop. Então, ao invés de usar “versão completa”, “site completo” ou coisas do tipo, vá sempre de “versão para desktop”, não menospreze seu usuário.

25. Seja claro se você requisitar a localização do usuário: Vários consumidores ficaram confusos quando um hotel identificou suas localizações e já ofereceram um quarto em suas cidades. O melhor é deixar um campo em branco para preenchimento ou oferecer um “Encontre-me”. Os visitantes precisam saber claramente a razão do rastreamento e como essas informações influenciarão sua passagem pelo site.

26. Tempo de abertura: Ficou claro que o tempo de abertura do site influencia diretamente na decisão do usuário permanecer nele, o Google  já penaliza sites com tempo de abertura maior que sete segundos.

27. SITE SEGURO: Já virou recomendação e mutos navegadores já não abrem sites considerados não seguros, em tempos de preocupação extrema com a segurança das informações o certificado SSL ( https://) são fundamentais pra garantir que todos os usuários consigam ter acesso ao que você tem a mostrar.

Essas orientações são de extrema importância na experiência do usuário e devem ser estudadas e aplicadas a medida do possível pra que você não perca acessos, tráfego e vendas.

 

Se você achou isso oportuno e quer saber como melhorar o seu site entre em contato!

Seu site segue as boas práticas do Google?

Preencha o formulário abaixo. Analisaremos seu site gratuitamente e apontaremos o que pode ser feito para melhorá-lo.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Fechar Menu